sábado, 30 de março de 2013

Páscoa


Desejo a todos uma Páscoa muito Feliz!
Rabialba

quarta-feira, 27 de março de 2013

TDT não funciona em Mogadouro

Mais de 70 por cento da população do concelho de Mogadouro tem dificuldades em ver televisão.
O problema já se arrasta há cerca de um ano, altura em que o sinal deixou de ser analógico e a região passou a ser servida pela Televisão Digital Terrestre - a TDT. Horácio Sá, presidente da Associação Comercial, Industrial e Serviços de Mogadouro, que também é empresário do ramo dos electrodomésticos, diz que recebe queixas diárias da população.E a situação agrava-se com o mau tempo. 
Horário Sá garante que é o que tem acontecido estes dias.
A Câmara de Mogadouro já tentou resolver o problema, com a instalação de um posto emissor. Mas o projeto foi chumbado pela ANACOM.

In Rádio Brigantia

quinta-feira, 21 de março de 2013

Click II




(Fotos Rabialba)

terça-feira, 19 de março de 2013

Quatro localidades transmontanas na rede turística “Aldeias de Portugal”

Rio D`Onor
Quatro das mais típicas aldeias transmontanas foram incluídas na rede “Aldeias de Portugal”, um roteiro turístico que convida a desfrutar das tradições, gastronomia e cultura das zonas rurais.
Da oferta deste projeto constam agora a emblemática aldeia de Montesinho, em Bragança, coração do parque natural com o mesmo nome, e, também em Bragança, Rio D´Onor conhecida pelo comunitarismo e por um quotidiano partilhado entre portugueses e espanhóis.
Ambas fazem parte da chamada Terra Fria Transmontana, assim como as outras duas localidades que constam agora das “Aldeias de Portugal”: Picote, em Miranda do Douro, e São Joanico, em Vimioso.
A integração nesta rede turística teve o apoio da Corane, a Associação para o Desenvolvimento dos Concelhos da Raia Nordestina, que representa os municípios de Bragança, Miranda do Douro, Vimioso e Vinhais.
Dinamizar económica, social e culturalmente aldeias de norte a sul do país, que ofereçam um nível de serviços e capacidade de receber que dignifiquem o território rural, é o propósito deste projeto.

“Para integrar este projeto é necessário que as aldeias apresentem um bom estado de conservação, alguma tipicidade e um nível de serviços de apoio ao turismo razoável, como alojamento, restauração, lojas de venda de artesanato, entre outros serviços”, explicou Luísa Pires, coordenadora da Corane.

A integração nesta rede permite às aldeias e aos agentes económicos locais, beneficiarem de ações de promoção conjuntas, nomeadamente a participação em feiras de Turismo, a divulgação através de um portal na Internet, edição de livros, brochuras e diverso material promocional.
Entidades públicas ou privados que pretendam desenvolver projetos na área do turismo no espaço das localidades classificadas beneficiam de uma majoração nas candidaturas que possam efetuar a fundos comunitários.
A Corane está a desenvolver algumas iniciativas de promoção do projeto e ações de melhoria nas próprias aldeias, como um projeto de sinalização para identificar os equipamentos existentes, serviços, património, percursos pedestres e outros locais de interesse.
O objetivo principal do projeto é reforçar a oferta de produtos e serviços complementares, ligados a uma experiência turística em contacto com o mundo rural e conseguir atrair novos investidores que dinamizem e projetem as aldeias classificadas como uma mais-valia turística do território, segundo os promotores.


In: Jornal da Madeira

domingo, 17 de março de 2013

Click





(Fotos Rabialba)

sábado, 16 de março de 2013

Ruralidades




( Fotos Rabialba)

domingo, 10 de março de 2013